Arquivo mensal março 2019

PorThe Sage

Destituído de títulos, terras, banido e com poucos xelins sobrando, recomece do zero a dura vida de um vassalo em Feudum

Feudum é uma produção de financiada coletivamente pela Oddbirds e trazida para o Brasil pela Ludofy creatives nessa nova onda de jogos de luxo para jogadores experts.

As ilustrações, a linguagem e clima bem humorados são para trazer leveza a um jogo que pode redefinir o que pensa de um jogo euro pesado. O tabuleiro enorme tem informações que muitas vezes podem passar despercebidas (sendo essa a principal crítica ao jogo), mas enche os olhos. Lindas cores e lindas imagens em todos detalhes chegam a enganar sobre que tipo de jogo estamos falando.

Apesar de tudo, o coração do jogo é simples:
Escolha quatro de dez cartas. Elas serão suas ações na rodada. Depois, um por vez, os jogadores escolhem que ação ativam nas cartas e as fazem. Simples e rápido em teoria. Algumas ações, no entanto, tem uma cascata de reações que exigem prática e muitas leituras do manual para se tornarem naturais e rápidas.

Existem exceções e detalhes. E um modo avançado. E tanta coisa acontecendo que é difícil acreditar que, uma vez que saiba o que está fazendo, tudo leve menos de 3 horas.

Em Feudum você estará trabalhando com seis guildas essenciais para seu sucesso. Fazendeiros, mercadores, alquimistas, cavaleiros, a nobreza e o clero são algumas das formas principais de interagir com o jogo, e a influência em cada uma delas será disputada.

Peregrinará em busca de novos domínios, o que lhe trará muitas recompensas, lutará contra monstros, criará novos feudos e combaterá invasores. O controle de suas fazendas e cidades estará sempre ameaçado por vilões gananciosos (também conhecidos como seus amigos à mesa) e se não tomar cuidado, seus servos podem deixá-lo por passarem fome!

Opções não faltam, e tudo é necessário, então suas quatro ações por rodada são extremamente valiosas. O perfeito manejo das cartas e recursos escassos são a chave para o sucesso e podem ser cruéis, mas quando acerta, todas as recompensas justificam o aprendizado.

Recomendado pela editora para jogadores acima dos 12 anos, este é um jogo que recomendo fortemente para jogadores experientes que já gostem de jogos bem pesados, para os quais será um jogo memorável. Não recomendo para quem está começando a achar o que gosta no mundo dos boardgames, podendo ser uma experiência frustrante para quem está chegando ao Hobby.

Feudum e muitos outros jogos você encontra na loja e na ludoteca do ClubeNerd!

Venha jogar conosco!

Fique por dentro de tudo que acontece no mundo dos jogos de tabuleiro! Siga-nos nas redes sociais:

Facebook/ClubeNerdBH | Instagram/ClubeNerdBH

PorThe Sage

Em 1755 Lisboa sofreu um terremoto desastroso, seguido de incêndios e uma Tsunami.

O rei delegou a reconstrução ao Marquês de Pombal, que juntou um time de engenheiros e você para realizar o trabalho.

Lisboa é uma obra prima de Vital Lacerda, um designer conhecido pela complexidade e beleza de suas criações. O jogo é minuciosamente balanceado e justificado tematicamente. A produção da versão deluxe (a mesma que veio para o Brasil) é maravilhosa. Poucos jogos são tão bonitos quanto Lisboa na mesa.

Apesar da complexidade do jogo, do tamanho e de tudo que ele tenta fazer, ação feita a cada turno é simples. O que ela desencadeia, a ordem que as coisas acontecem, a sua decisão dentre tantas possíveis (e são dezenas a cada turno) é que o tornam um quebra cabeça respeitável. Nada é óbvio ou brusco, tudo é sutil.

Cada incremento em um atributo, melhoria na cidade, na economia, entulho retirado dos terrenos, oficial enviado pros escritórios, loja construida, bem vendido, navio comprado, prédio público aberto, a cada novo decreto do Marquês ou favor do clero faz com que o jogo mude ligeiramente, que a economia se mova, que os nobres estejam mais ou menos propensos a te ouvir.

Planejamento preciso é a chave para se jogar lisboa. E tudo isso é feito, a cada turno, jogando uma carta e comprando uma carta. Simples assim.

Você pode colocar uma carta em seu display para ganhar o benefício mostrado na carta e marca a alteração na economia também especificada ali. Depois, ou exporta seus bens de consumo se alguém já possuir navios (você recebe dinheiro, o dono do navio, pontos de vitória) ou negocia com os nobres para usar até duas de suas ações de estado.

Ou você pode colocar a carta do nobre que deseja (Rei, Marques de Pombal ou o Construtor)) na corte e usar de sua influência para pedir favores a ele, usando uma de suas ações de estado e sua ação exclusiva . Pode ainda colocar uma carta de evento na área da corte, pagar o valor do tesouro atual e financiar um evento.

Siga as ações que forem desencadeadas e suas consequências e passe o turno.

A produção da Mandala/Eagle-Griphon que chegou ao Brasil corresponde à versão de luxo com algumas modificações e teve algumas questões na produção como tom ligeiramente diferente nas cartas. Neste jogo, felizmente, essas questões tem zero de relevância. Os componentes são primorosos e a qualidade e beleza de tudo enche os olhos.

Recomendado para jogadores experientes que queiram um jogo pesado, delicioso de se jogar e um quebra cabeça desafiador, Lisboa pode servir como um primeiro jogo peso pesado para quem já esteja acostumado aos jogos médios, não sendo burocrático ou difícil de se jogar. Quem goste de história, design e arte também se maravilhará com essa obra.

Lisboa e muitos outros jogos você encontra na loja e na ludoteca do ClubeNerd!

Venha jogar conosco!

Fique por dentro de tudo que acontece no mundo dos jogos de tabuleiro! Siga-nos nas redes sociais:

Facebook/ClubeNerdBH | Instagram/ClubeNerdBH

PorThe Sage

Você está entre os descobridores de uma nova e incrível mina de cristal. Cumprindo um desafio de descer e minerar por cinco dias, vendendo cada grama de cristal encontrado e quem tiver mais dinheiro ao fim, ganhará a aposta e a mina.

Assim é Quartz, remake luxuoso do clássico “Ouro de tolo” com diversos novos mecanismos para melhorar a jogabilidade e um visual mais limpo, com belas ilustrações e pedras grandes e bonitas. A produção tem um único defeito: o jogo vai ser tão jogado que eventualmente as pedrinhas vão se desgastar (facilmente repostas em qualquer loja de jardinagem).

A cada dia de trabalho os anões decidem se saem da mina ou continuam. Se continuarem, mineram um cristal (puxam uma pedra aleatória de um saquinho) ou jogam uma carta azul e seguem seu texto. Alvos de cartas azuis podem responder com cartas roxas.

Se saírem, verificam os cristais que conseguiram e decidem uma venda e que multiplicadores preferem usar, podendo guardar até dois cristais entre as vendas.

Se ficarem, desafiam a sorte a cada cristal que mineram, porque a mina está cheia de cristais instáveis que podem explodir a qualquer momento e minerar dois te mandam pra fora sem cristal algum nas mãos, e mais cuidadosos para quando encontrarem o mesmo problema novamente.

As cartas interferem diretamente, seja permitindo minerar sem riscos, seja forçando alguém a minerar pra você e pegando a melhor parte ou simplesmente passando aquele cristal instável que obviamente não é seu para um anão desavisado.

Quartz é um jogo rápido, construído sobre risco, sorte e uma mecânica de “toma essa” (uso de cartas para interagir diretamente com os jogadores, geralmente os prejudicando). Sendo um ótimo jogo de festa ou filler (jogo curto geralmente usado entre jogos longos para descontrair).

Recomendado para crianças a partir dos 14 (creio pessoalmente q possa ser facilmente jogado a partir dos 10) e para jogadores que queiram um jogo leve, bem humorado e cheio de sorte, onde qualquer um pode sair vencedor.

Não recomendado para quem procure jogos mais estratégicos ou não goste do fator sorte. Quem não gosta de “toma essa” também deve evitar.

Quartz e muitos outros jogos você encontra na loja e na ludoteca do ClubeNerd.

Venha jogar conosco!

Fique por dentro de tudo que acontece no mundo dos jogos de tabuleiro! Siga-nos nas redes sociais:

Facebook/ClubeNerdBH | Instagram/ClubeNerdBH

PorThe Sage

Pela glória e pelo império, explore o mundo, estabeleça novas rotas de navegação e novos mercados na era das grandes navegações.

Em “Endeavor: age of sail” você é um dos bravos exploradores que navegará para fora da Europa e do Mediterrâneo, construirá fortes e rotas. Na capital, construirá prédios que ampliarão sua capacidade de exploração e, no mundo, descobrirá áreas ainda não mapeadas.

Apesar do tamanho do jogo e da qualidade da produção, que é luxuosa para dizer o mínimo, a jogabilidade de endeavor é simples, embora as consequências de cada pequena decisão acumulem rápido e existam muitas estratégias viáveis a depender do setup do jogo (que varia) e de suas decisões iniciais.

No seu turno, construa um prédio. Eles são divididos por níveis e você pode investir em aumentar o nível de construção para construir prédios mais poderosos. Depois tome ações de acordo com os discos de ação que possue (também pode investir em aumentar quantos discos recebe) e que espaços de ação possue em seus prédios.

Explore as rotas ou domine os fortes e passe a vez, pegando os recursos q conquistou em sua jogada e atualizando seu tabuleiro pessoal. Tudo muito rápido. Quando perceber, será sua vez de jogar novamente, o que te mantém envolvido no jogo o tempo todo.

O jogo em si é estratégico e beira o abstrato, estando presente o tema em cada detalhe, mas não interferindo realmente na jogabilidade ou mecânicas. Recomendado para marinheiros a partir dos 12 anos com pelo menos uma experiência inicial com boardgames, é uma boa ponte entre jogadores com diferentes idades e níveis de experiência, tendo pouca sorte, mas sendo pouco punitivo, gerando uma experiência positiva para diferentes perfis.

Um dos jogos que menos se ouve falar na mídia especializada, esse lançamento da Ludofy é um remake de um jogo clássico chamado apenas “Endeavor” trazendo uma produção do nível que este jogo merece e está na sombra de lançamentos com maior hype (atenção, às vezes exagerada, sobre algo), mas não deve ser subestimado, pois vai agradar tremendamente a praticamente todos que o experimentarem.

“Endeavor: age of sail” e muitos outros jogos você encontra na loja e ludoteca do ClubeNerd.

Venha jogar conosco!

Fique por dentro de tudo que acontece no mundo dos jogos de tabuleiro! Siga-nos nas redes sociais:

Facebook/ClubeNerdBH | Instagram/ClubeNerdBH

PorThe Sage

O papel principal da mais nova super produção de Steve Scream tem que ser seu!

Em “Action! O jogo de cinema” você é um ator fazendo a audição para o papel principal de um filme. Cada jogador receberá, em segredo, um papel. Neste momento, podem olhar qual e colocá-lo com a face pra baixo. Cada papel faz uma coisa diferente que te rende aplausos.

E esse é o coração do jogo: de agora em diante, você só pode ver seu papel se usar seu turno pra isso ou se alguma ação o instruir. Durante seu turno, atue! Como qualquer papel que desejar, mas tomando cuidado para que o contra regra da vez não duvide de você, ou quem ganhará os aplausos será ele.

Você pode ainda fazer a ação do diretor, trocando às cegas o papel de dois jogadores, pode pagar um aplauso para jogar um efeito especial, que nesse jogo são cartas de ação aleatórias, que te ajudam ou prejudicam alguém e pode olhar sua carta.

O objetivo é ganhar 7 aplausos e o papel principal.

Simples, rápido e muito engraçado, Action é uma produção local, financiado recentemente e competindo com vantagens com grandes clássicos como “mascarade” e “coup” no gênero de “dedução social”.

Ilustrações bem humoradas com referências a clássicos do cinema de horror em cartas enormes e bem coloridas vão agradar aos fãs do gênero e arrancar boas risadas por si só.

Recomendo para 3 a 6 atores com qualquer nível de experiência a partir dos 12 anos e estejam interessados em muito blefe e uma boa pitada de sorte.

Uma dica para quem não conhece este tipo de jogo: ele depende da mesa. Cada combinação de jogadores rende um jogo diferente e variar essa mesa te garante experiências melhores, sendo esse um ótimo jogo para quebrar o gelo numa reunião social e pra animar uma resenha com amigos.

“Action!” e muitos outros jogos você encontra na loja e na ludoteca do ClubeNerd!

Venha jogar conosco!

Fique por dentro de tudo que acontece no mundo dos jogos de tabuleiro! Siga-nos nas redes sociais:

Facebook/ClubeNerdBH | Instagram/ClubeNerdBH

PorThe Sage

Mais uma manhã de trabalho duro, mas se seus planos derem certo, sua pequena fazenda pode um dia ser conhecida como La Granja.

Não se engane achando que La Granja é apenas mais um joguinho de fazenda. Eles apresenta mecanismos refinados, regras elegantes e soluções muito inteligentes para a jogabilidade que propõe, diferindo bastante dos outros jogos do tema.

Todo turno os jogadores executarão uma sequência de fases e jogarão uma carta. Cada carta pode ser jogada de quatro maneiras diferentes, o que cria escolhas difíceis, já que as oportunidades de recursos e negócios são limitadas. No entanto, a cada carta você percebe o quanto sua fazenda cresceu e a cada turno percebe progresso, sendo esse sentimento muito gratificante.

Você pode focar a produção de bens, o comércio, a criação de animais ou o negócio com outros produtores locais enquanto melhora e amplias suas instalações. Pode contratar especialistas que diferenciarão seus meios de produção dos de seus concorrentes e aumentar a casa da fazenda, que te dá bônus a serem usados pra sua vantagem.

Apesar da quantidade de opções, estratégias e das decisões impactantes que tem que tomar, uma partida de La granja é rápida, durando menos de 2h em 4 jogadores, e intensa: você não vai saber onde foram parar essas duas horas. O jogo não é pesado, mas é recomendado para jogadores com alguma experiência ou experts.

Não deixe de conhecer esse espetacular lançamento da across the board, vai se surpreender.

La Granja e muitos outros jogos você encontra na loja e na ludoteca do ClubeNerd.

Venha jogar conosco!

Fique por dentro de tudo que acontece no mundo dos jogos de tabuleiro! Siga-nos nas redes sociais:

Facebook/ClubeNerdBH | Instagram/ClubeNerdBH